Se você e sua comunidade desejam resolver o problema de poluição e contaminação das águas de sua bacia hidrográfica, basta procurar o MINISTÉRIO PÚBLICO de sua Comarca e solicitar providências, através de uma "AÇÃO CIVIL PÚBLICA", contra os poluidores. Não tem custo algum e suas gerações futuras vão agradecer muito!

DIA DA TERRA 2014

DIA DA TERRA 2014
O que fizermos para o nosso PLANETA TERRA será sentido e colhido pelos nossos filhos, netos e bisnetos nas próximas décadas. Poderão ser ações destruidoras ou benéficas...lembrem-se que nossas ações serão cobradas ou valorizadas por nossas gerações futuras! <\b>

Seguidores do Blog SOS Rios do Brasil

17 de abril de 2010

5º PRÊMIO DE CONSERVAÇÃO E REUSO DE ÁGUA - FIESP/CIESP E OS PREMIADOS

Elekeiroz é a grande vencedora do 5º Prêmio de Conservação e Reúso de Água

A empresa do setor químico e petroquímico ganhou o primeiro lugar na categoria médio e grande portes. Iochpe-Maxion ficou em 2º e J. Pilon, em 3º


André Gustavo Monteiro, gerente de produção da Elekeiroz, autor do projeto vencedor (à esq.), recebe o prêmio das mãos de Rafael Cervone Netto, 1º vice-presidente do Ciesp
Foi realizada na noite desta quarta-feira (14), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a entrega do 5º Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso de Água, promovido pela entidade.


Este é o quinto ano consecutivo que se concede o Prêmio com o intuito de promover as práticas de uso eficiente da água. O objetivo é o incentivo à redução do consumo, gerando benefícios ambientais, econômicos e sociais para o setor produtivo.

De acordo com o 1º vice-presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone Netto, o esforço para promover as boas práticas ambientais está em consonância com as preocupações atuais que impõem nova postura ao setor industrial, que surpreende ao demonstrar a sua capacidade de inovação. "Na verdade, a grande vencedora do Prêmio de hoje (14) é a sociedade", ressaltou.


O presidente do Centro Internacional de Referência em Reúso de Água (Cirra), Ivanildo Hespanhol, também frisou o caráter de inovação, em termos de concepção, dos projetos inscritos e premiados: "A indústria desenvolve estudos-piloto que promovem uma economia sustentável ao longo do processo".

O diretor da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Fernando Rei, lembrou que outro atributo do prêmio é o estímulo a mudanças no padrão ambiental das indústrias, além da sua replicabilidade. E citou a parceria pioneira nos mecanismos de Produção Mais Limpa (P+L) da sua entidade com o setor têxtil da indústria.


Da esq. p/ dir.: Danieli Melchior e Paulo Becker, da Iochpe-Maxion, e a secretária Dilma Pena (Saneamento e Energia)


A importância do Prêmio foi enfatizada por Dilma Pena, secretária de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo, ao ressaltar que iniciativas como essa estimulam cada vez mais o desenvolvimento de mecanismos sustentáveis.


Os vencedores receberam troféus, selos e placa de menção honrosa. Todas as indústrias participantes, com sede no estado de São Paulo, ganharam certificado de participação. A empresa que conquistou o primeiro lugar ganhou também um pacote aéreo para um final de semana em Recife.


Premiados na categoria médio e grande portes:

  • 1º lugar – Elekeiroz. Grande empresa do ramo Petroquímico com mais de 100 anos de existência, é controlada pela Itaúsa Industrial. Possui duas bases, uma delas em Várzea Paulista-SP e o outro no Polo Petroquímico de Camaçari (Bahia). O prêmio foi entregue a André Gustavo de Andrade Monteiro (gerente de Produção), autor do projeto vencedor. Ele disse que “a Elekeiroz é signatária de programas de sustentabilidade e aposta em boas práticas ambientais”. Todas as medidas e modificações realizadas na Estação de Tratamento de Água visaram à redução da captação da água do Rio Jundiaí, bem como a diminuição da geração de efluentes. O trabalho envolveu a conscientização de todos os colaboradores quanto à importância deste recurso, ao seu uso racional e ao reaproveitamento de efluentes, sendo implantando um conjunto de nove projetos para obter as melhorias necessárias. Clique aqui para ver o case na íntegra

  • 2º lugar – Iochpe-Maxion. O prêmio foi recebido por Danieli Melchior (gerente da Qualidade, Meio Ambiente e Melhoria Contínua) e Paulo Becker (site-manager). A indústria fabricante de rodas tem unidade em Limeira (SP) e escritórios de vendas e atendimento ao cliente nos EUA, Japão e México. Visando à redução do consumo de água, identificou-se a necessidade de instalação de um tratamento terciário na estação de tratamento de efluentes, tendo em vista a exigência do processo produtivo, em especial na operação de pintura de rodas. Optou-se pela instalação de uma unidade de microfiltração e osmose reversa, que consiste em forçar a água através de membrana semipermeável, permitindo a passagem do líquido, mas não de outros materiais. Um dos objetivos foi a redução da captação de água subterrânea em 67% e consequente consumo sustentável preservando o Aquífero Itararé. Clique aqui para ver o case na íntegra



  • 3º lugar – Usina J. Pilon. O prêmio foi recebido por José Pilon, presidente da empresa situada em Cerquilho, SP. O projeto apresentado diz respeito ao “Fechamento do Circuito do Sistema de Resfriamento das Águas de Fabricação de Açúcar da Usina Santa Maria”. O objetivo foi reutilizar a água de resfriamento nos evaporadores e cozedores da fábrica de açúcar, eliminando-se a captação de água do Rio Sorocaba para esta finalidade. Houve a implantação de bombeamento e tanque dotado de aspersores, visando ao resfriamento evaporativo das águas quentes, resfriando-as para ser utilizada novamente no processo. Clique aqui para ver o case na íntegra


  • Na categoria micro e pequeno portes:

  • Menção honrosa – Metalúrgica Inca. A homenagem foi entregue às engenheiras Natália Araújo Viana e Flávia de Jesus Garcia Santos, da empresa situada em Mococa, SP. O caso apresentado pela Metalúrgica Inca focou o aproveitamento da água da chuva devido ao seu baixo custo de implantação e alto retorno na questão ambiental. O intuito foi minimizar o escoamento de água nas redes pluviais durante as chuvas fortes e reutilizá-la na Estação de Tratamento de Efluente. Após cinco meses de implementado o projeto, verificou-se redução de aproximadamente 84,6% no consumo. A água da chuva trata o efluente da galvanoplastia e, ainda, auxilia na limpeza do piso interno da fábrica. Clique aqui para ver o case na íntegra


  • Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp


    INSTITUTO SOS RIOS DO BRASIL
    Divulgando, Promovendo e Valorizando
    quem defende as águas do Brasil!
    ÁGUA - QUEM USA, CUIDA!

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Seja bem vindo e deixe aqui seus comentários, idéias, sugestões, propostas e notícias de ações em defesa dos rios, que vc tomou conhecimento.
    Seu comentário é muito importante para nosso trabalho!
    Querendo uma resposta pessoal, deixe seu e-mail.

    A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Portanto, não serão publicados comentários que firam a lei e a ética.

    Por ser muito antigo, o quadro de comentários do blog ainda apresenta a opção comentar anônimo; mas, com a mudança na legislação,

    ....... NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS DE ANÔNIMOS....

    COMENTÁRIOS ANÔNIMOS, geralmente de incompetentes e covardes, que só querem destruir o trabalho em benefício das comunidades FICAM PROIBIDOS NESTE BLOG.
    No "COMENTAR COMO" clique no Nome/URL e coloque seu nome e cidade de origem. Obrigado
    AJUDE A SALVAR OS NOSSOS RIOS E MARES!!!

    E-mail: sosriosdobrasil@yahoo.com.br